domingo, 20 de fevereiro de 2011

UM GRITO DE SOCORRO


Tal qual criança,sendo maltratada
impossibilitada de se defender,
que esperneia e grita a mais não poder,
para que alguém venha lhe socorrer!
Como essa criança,a natureza lamenta em tristes ais...
grita bem alto,no seu grito mudo
pede socorro para não morrer!

As queimadas e desmatamentos,
o solo,os rios,mares e arvoredos
que levam séculos p'ra desenvolver,
são devastados pelas mãos do homem
que faz num instante desaparecer...
     
      Os sinais que ela manda todo dia,
      de que está farta de tanto descaso,
      caem em ouvidos dos que estão surdos...
      que  nada faz para lhe socorrer...

São as enchentes,chuvas desmedidas,
sol inclemente,seca inesperada
tragédia após tragédia a revelia,
calamidade após calamidade,dia após dia,
que trazem medo,mesmo assim,inércia
de quem pode ajudar e não faz nada...

   A mão que pede ajuda para o infeliz
   que perdeu tudo na desolação,
   é a mesma que ergue p'ra matar a árvore,
   cuja raiz traz a sustentação,o amparo
   ao solo já tão desgastado...
   que não suporta mais outra erosão...  
   que causa mortes,que só traz tormentos,
   que chora alto a destruição!

      O refugo das cidades grandes,
      são despejados sem nenhum pudor
      nos rios,mares e mananciais
      destruindo,aniquilando tudo,sem nenhum amor,
      causando tanto dano...cada vez mais,
      a natureza revoltada emite seus sinais,
      de que o fim da era de fartura imensa,
      de verdes pastos,de abundância ímpar,
      chega ao seu fim,para jamais voltar!

      É o castigo que vem caminhando...
      não tendo pressa,mas que vai chegar!
      O que o homem destruiu é muito caro...
      e esta conta vai ter que pagar!...




      sscoqueiro                   20.02.11
     
  
  



   





Um comentário:

sscoqueiro disse...

Aquilo que o homem semear ,seus filhos haverão de colher...

Postagens populares