segunda-feira, 23 de março de 2015

FOLHAS DE OUTONO

Lembrança de amor antigo
nos recônditos da mente
jamais será esquecida,
por mais que se tente!
Ao mergulhar no passado
elas voltam de vez... 
e como ferida aberta,recomeça a doer...
dói,dói  sem parar,até se chega a pensar,
que de tanta dor, vai morrer...
que vai morrer da tristeza
da lembrança que ficou...
a dor que agora sente
é dor de amor que mais dói
que reabre a ferida seca
que a faz de novo viver...
sangra,chora,faz a lágrima brotar,
e pela face escorrer!
São como folhas ao vento,
ninguém as pode conter.
Voam pra onde querem
não importa nosso querer...
ao sabor do vento brando
que as leva sem perceber
que estão espalhando cinzas
de um amor que já morreu,
que há muito tempo se foi
que só saudades deixou!...
e as lembranças escondidas
que o tempo não apagou!


Selma Coqueiro
23/03/2015

Postagens populares