segunda-feira, 21 de dezembro de 2015

Se eu fosse um poeta...

Ah! se eu fosse um poeta...
Haveria de cantar-te em versos
todo dia!
O teu olhar a minha inspiração seria,
e eu viveria só para te amar,como ninguém jamais faria!

Ah! se eu fosse um poeta...
mil poemas de amor eu comporia
só para te ver feliz...não importa se pra isso eu tivesse que morrer,eu juro,meu amor,contente eu morreria!

Ah! se eu fosse um poeta...
as estrelas do céu eu contaria
pra saber quantas delas existiam e,
juro meu amor,uma a uma eu buscaria
para adornar teus cabelos, noite e dia!

Faria sentires que és minha,minha
tão somente minha,eternamente minha...
eu meus braços eu te aninharia,
faria de tua vida a minha,nesses momentos doces
eu te prenderia,se um poeta eu fosse!

Sobre a relva verdejante,nos momentos de romance,
fitando o céu azul todo estrelado,
nós dois deitados lado a lado,
o luar sendo nosso cobertor...
no silêncio da noite sedutora
eu te faria mil canções de amor!

Selma Coqueiro,poetisamadora                        21/12/2015


sexta-feira, 25 de setembro de 2015

PRIMAVERA

A velha cerejeira
com seus galhos retorcidos,
está vestida de festa,
toda florida de rosa,
como num belo vestido
pra festa da primavera!

A primavera que chega
trazendo chuva,
que cai macia na terra
em verso e prosa,
sem tormenta,sem tormento
que traz paz e alimento.

Caindo sobre o telhado
ouço a chuva leve,sem vento
metade beijo,metade lágrima
me dizendo em silêncio
amor,boa noite
durma sem medo...

Velarei seu sono,seu lamento
em pesadelo constante
pela saudade tão doce
da juventude distante,
quando nem sabíamos ainda
que o tempo passa voando!

Selma Coqueiro             25/09/2015

quinta-feira, 14 de maio de 2015

FÊNIX

Juntei meus pedaços espalhados
pela estrada da vida em desalinho,
e fiz com eles novo ser vivente,
como a fênix das cinzas renascida,
que retorna ao ninho,alegremente!

Deixei pra trás todas as lembranças,
todas as dores,mágoas,desencantos...
refiz a plumagem enegrecida
pelo triste viver amortecido
em cacos espalhados pelo vento!

Enchi o peito com novos ares,
com novos sonhos ainda por viver,
tornei ao ninho pra poder alçar
novos vôos ao alvorecer,
e novas metas poder alcançar!

Com nova plumagem encaro o desafio...
dei outros rumos pela vida afora,
sabendo agora o que antes não sabia
que a vida cobra por cada momento
que jogamos fora,sem sabedoria!

Renascer é lutar com galhardia
pra sobreviver  cada batalha,a cada dia
descobrir caminhos novos,mais amenos,
com menos querer,menos pedir,
e mais,muito mais a oferecer!

Contemplar o céu,sorver do mar
a brisa que refresca, a aura mansa...
ver a riqueza que entrelaça a alma
daquele que sabe compreender..
como é tão simples, simplesmente viver!

Selma Coqueiro  poetisamadora               14/05/2015

segunda-feira, 23 de março de 2015

FOLHAS DE OUTONO

Lembrança de amor antigo
nos recônditos da mente
jamais será esquecida,
por mais que se tente!
Ao mergulhar no passado
elas voltam de vez... 
e como ferida aberta,recomeça a doer...
dói,dói  sem parar,até se chega a pensar,
que de tanta dor, vai morrer...
que vai morrer da tristeza
da lembrança que ficou...
a dor que agora sente
é dor de amor que mais dói
que reabre a ferida seca
que a faz de novo viver...
sangra,chora,faz a lágrima brotar,
e pela face escorrer!
São como folhas ao vento,
ninguém as pode conter.
Voam pra onde querem
não importa nosso querer...
ao sabor do vento brando
que as leva sem perceber
que estão espalhando cinzas
de um amor que já morreu,
que há muito tempo se foi
que só saudades deixou!...
e as lembranças escondidas
que o tempo não apagou!


Selma Coqueiro
23/03/2015

Postagens populares